BLOG

SINAIS DE DEPRESSÃO EM ESTUDANTES

Aprenda a reconhecer os sintomas do transtorno que altera a rotina de estudo de milhares de jovens (#depressão #terapia #terapiacognitivocomportamental #estudandocomequilibrio)


Nas últimas décadas, vem crescendo o número de jovens com depressão. Essa doença atinge de diversas maneiras a rotina de um estudante e é muito importante estar atento aos sinais de um quadro depressivo.



Como saber se posso estar com depressão?

Primeiro, vale lembrar que somente um profissional capacitado pode fazer o diagnóstico. Porém, é importante estar de olho em alguns sinais e buscar ajuda caso perceba-os em você. Busque ajuda caso:

- Se sinta triste, deprimido ou irritado na maioria dos dias;

- Tenha percebido que perdeu o prazer nas atividades que realiza ou realizava;

- Tenha muito sono ou dificuldade de dormir na maioria dos dias;

- Sinta muita fome ou falta de apetite constantemente;

- Sinta como se estivesse perdendo as energias;

- Se sinta pouco motivado, com dificuldade de iniciar novas atividades.

Observação: não faça autodiagnóstico. A depressão é diferente de uma tristeza mais longa. Existem critérios científicos seguidos pelos profissionais que levam em conta a quantidade de sintomas e o tempo de duração.


Como a depressão afeta a rotina de estudo?

No quadro depressivo, a pessoa tende a fazer uma avaliação negativa sobre si, suas experiências e seu futuro. No caso de um estudante, isso poderia funcionar assim:

- Diante de uma nota baixa, a pessoa pensa que os outros são melhores do que ela (avaliação negativa sobre si e sobre a experiência de tirar nota baixa) e com isso conclui que nunca poderá ser aprovado (avaliação negativa sobre o futuro).

Além disso, a falta de energia e a perda de interesse nas atividades, comuns na depressão, podem tornar muito difícil seguir uma rotina de estudos. Por mais que deseje, o estudante pode não conseguir se manter concentrado e ter uma boa memorização dos conteúdos.


Então, o que fazer?

O primeiro passo, diante desse quadro, é buscar ajuda profissional. Psicólogos e psiquiatras são os profissionais mais indicados para diagnóstico e tratamento.

O tratamento em terapia cognitivo-comportamental inclui ajudar o paciente a identificar e modificar pensamentos negativos que prejudicam a vida dele. Além disso, é muito importante que aos poucos atividades possam ser introduzidas ou reintroduzidas na rotina para aumentar a sensação de prazer e a qualidade de vida.


Conte comigo!

Brenda Machado - Psicóloga (CRP 05/55507)

Atendimento presencial e online.

204 visualizações

© 2018 por Odesign (21)99202-2997